segunda-feira, 10 de março de 2014

SABEDORIA DE PAI TOMÉ: ' O QUERER '

                          

                                    RELEMBRANDO....

            *do nosso blog:  VOZES DO GRANDE CORAÇÃO




                                SABEDORIA DE PAI TOMÉ: 


                                    O  'QUERER'
 





Hoje, dia 30 de junho de 2011, falou muito comigo, durante a madrugada, Pai Tomé das Almas, que também gosta quando se lembram dele como Pai Tomé do Oriente, o que, na verdade, para ele não faz diferença alguma, já que é uma alma livre no Cosmos, e que adere a essa ou aquela vertente espiritualista nos momentos em que isso lhe apraz, manifestando-se como quer e como convém.  


Para ele, esse vulto de esplendoroso brilho de virtudes e sabedoria ímpar, o que importa é o 'amor e o trabalho' em prol de nossa humanidade terrena, onde atua como missionário intergaláctico.

Na sua moldagem perispiritual de Preto Velho ele me falou longamente sobre o 'querer' das pessoas.

Mostrou–me várias cenas reais do dia–a-dia dessas pessoas, exemplificou muitas coisas, e me fez lembrar, agora, de alguns trechos de sua conversa que faço questão de compartilhar com meus irmãos planetários.


Disse que o maior problema do ser humano está, então, no seu 'QUERER'.


Afirmou que, em geral, as pessoas não sabem 'o que' querem, não sabem 'por que' querem ...e querem muitas coisas que, mui comumente, não tem o menor significado para as suas existências.


Querem 'demais', querem de ‘menos’, querem algo inalcançável... ou algo impróprio... algo inútil... algo impossível... algo do outro... algo que não lhe convém... algo que lhe vai sobrecarregar... algo que vai tirar a sua serenidade... algo que pode ser vantajoso, mas que espiritualmente em nada lhes vai acrescentar...ou algo que é só abstrato e que nada de substancial promove de concreto para sua vida, nem traz mudanças a si mesmo ou ao mundo.


Às vezes, ele continua, meus filhos só querem 'sossego' e não trabalho.  Querem falar pela sua 'imagem' e não por 'amor ao próximo'. Querem fazer algo miraculoso com 'vaidade' e não 'fraternidade'...


Muitos querem 'abraçar o mundo com suas próprias mãos'...outros querem dormir e esquecer que tem que 'arregaçar as mangas' e produzir mais...


Tem outros muitos que até deveriam dormir mais e se harmonizar mais, ao invés de ficarem 'malhando em ferro frio'...


Lembrou que muitos querem que tudo seja como 'pensam que querem' e que, então, não se dignam a abrir a mente para aprender mais nada.


Que, às vezes, queremos 'tirar água da pedra'...que somos teimosos...


Que, às vezes, não queremos enxergar as coisas e tomar novos rumos em nossas vidas...


Que o nosso 'querer' é recheado de melindres, orgulho, de vaidades e de egoísmo...e que nem todos pensam se o seu 'querer' vai prejudicar alguém ou a si mesmos...


Muitos desejam que a vida transcorra dessa ou daquela forma, sem que se entregue, em confiança ao que o Pai lhes reservou, para seu melhor aproveitamento.


Disse que o 'querer' é realmente algo muito profundo, complexo, intrincado, duvidoso, traiçoeiro, desafiador do bom senso e da prudência.


Que neste 'querer' está a raiz de muitos males ou a veia fértil das idéias e ações para se adquirir  sabedoria e progresso, prosperidade e evolução real.


O 'querer' pode ser uma' mola propulsora' de grandes avanços materiais ou espirituais...mas também pode ser uma como uma 'ratoeira' que nos aprisiona às situações, pois podemos pensar que aquele 'pedaço de queijo' é tudo o que precisamos e que é nossa única opção.


Para ele, o ‘querer’ é tudo o que pode atrapalhar tudo....é tudo o que pode 'não ter que ser'... que pode 'não ter que acontecer'...e que, muitas vezes, nem existe na matriz de nossas pautas de vida , sendo que arrastamos, como se fosse um ideal ou uma obrigação, para perto de nós, por pensamentos equivocados quanto ao que 'pensamos querer'...


Ele me falou que para tudo ser mais fácil  é preciso soltar-se à vida, com sabedoria, com confiança ...diz que o que é mais 'fluido', 'natural', é mais 'proveitoso'...mais 'verdadeiro'...e dá mais frutos e mais alegria....


Disse que existem muitas pessoas somente usufruidoras das suas condições favoráveis de vida ou de espiritualidade e que fraquejam nas adversidades.... que falsificam muito suas  índoles ainda...que forjam situações...que lhes falta a realidade do ‘sentir’  sinceramente a conexão com a divindade e com suas providências para nós, de forma autêntica, e por valores sólidos adquiridos...


Que é mais salutar querer ‘ser bom’, e não querer enganar a si mesmo através de adesões e pactos com deslumbradas maneiras de nos expressarmos, com palavras  ‘da moda’ ou de ‘porte’ espiritual de vanguarda, como conceitos e cumprimentos repetidos por conveniência e desejo de aceitação do outro, dentro de suas comunidades, que parecem mascarar a verdadeira personalidade espiritual das pessoas...e que obscurecem o amor real da pureza de um ‘ querer’ genuíno de solidariedade, de vontade de mudar, de caminhar para a ascensão com a consciência translúcida de nobres pensamentos.


Ao mesmo tempo relembrou que para 'amar' basta ‘ querer’ sair da indiferença...


Que para sair de um vício tem que se ‘querer’ ter vida saudável e alegre..


Que para vencer a depressão e o medo tem que se ‘querer’ sair dela e não alimentá-la por 'querer fugir' de se encontrar com a solução para o seu desgosto pessoal...


Que para nos integrarmos ao Cosmos temos que querer ‘não querer nada que não importa’...


Enfim, ele disse que no ‘querer’ residem fórmulas de se adquirir paz ou de propiciarem-se guerras externas ou internas...


Que neste 'querer' reside a mágica da transmutação do ser, ou do atraso de sua redenção...


Que o 'querer' é algo alquímico, para o bem ou para o mal...e que, portanto, sempre, sempre, deveremos ser responsabilizados pelos nossos 'quereres', em qualquer que seja a dimensão que nossos seres estejam vivenciando...

Que o melhor 'querer' tem que ser o de 'sermos a luz que somos' e cumprir o 'Vós sois deuses!' que Jesus falou, mas não de forma simplista, somente afirmando isso porque a humanidade espiritualista já domina o uso inconsequente desse refrão, mas vivenciando essa plenitude de 'ser', conquistando-a, gradativamente, como a nossa única, primeira e última verdade, contanto que tenha sido restabelecida enquanto tal, dentro de nós.

E muito mais ele falou e eu não me lembro.


QUERER...

Pelo que concluí, ele é nossa alegria ou nossa desdita.

Ele se afastou, e se elevou acima de minha cabeça, e voou, frente aos meus olhos, para cima, no outro andar, deixando lá um rastro de estrelas prateadas, auxiliando a moradora, uma irmã médium e esquizofrênica que, de vez em quando, grita para eu parar de rezar, mesmo estando eu em oração mental e silenciosa... E, voltando para baixo,  disse-me ainda mais: 


- “Cuidado com o que vocês querem ou pensam que querem !”

-“ Cuidado se 'nunca quiserem nada' ou se 'sempre quiserem tudo' !”

- “ Cuidado em ‘querer’ e cuidado em ‘não querer’ !”



E, sorrindo, já voando e se misturando com o teto do  meu quarto, lembrou-me da esfinge egípcia, dizendo:

Filha... a vida é um mistério... E o 'querer'  também é um mistério.

É como disse o espírito da Esfinge para a humanidade:


- “Decifra-me ou te devoro !”



-"Diga pro mundo, filha, que em saber 'querer' ou  'não querer'  reside o segredo da felicidade !"



E sumiu...



Rosane Amantéa



Em 30 de junho de 2011, em Londrina, Paraná, Brasil




      
                                                                                              ©2014 Rosane Amantéa

Esta mensagem pode ser compartilhada desde que os direitos autorais sejam respeitados citando-se o autor e o link   



Obrigada por incluir o link do site do autor quando repassar essa mensagem.
                           

Nenhum comentário:

Postar um comentário